O que é

A hérnia femoral ou crural é um tipo incomum de hérnia, representando 1 em cada 20 hérnias na região da virilha. Essas hérnias se manifestam como um nódulo doloroso na parte superior interna da coxa ou virilha. É mais comum em mulheres.

Causas

Entre as causas do problema, além do enfraquecimento da região, pode-se incluir a pressão exercida sobre o abdômen ao tentar evacuar ou ao realizar atividades físicas intensas, como empurrar cargas pesadas. A obesidade e a tosse crônica também são fatores que podem levar ao desenvolvimento de uma hérnia femoral.

Sintomas

As hérnias crurais apresentam os mesmos sintomas das hérnias inguinais, como dor abdominal e abaulamento na virilha. Em casos de obstrução intestinal pode ocorrer vômitos e náuseas, febre, vermelhidão ou eritema na região.

Tratamento

As hérnias femorais podem ser reparadas por meio da Herniorrafia crural Videolaparoscópica ou mais recentemente por via robótica, cirurgia que repara a hérnia e ajuda a fortalecer a fraqueza na parede abdominal com a fixação de uma tela de polipropileno. A correção também pode ser feita via aberta através de um corte na virilha, fechamento do defeito na musculatura e fixação de tela. A videolaparoscopia permite uma recuperação mais rápida e menos dor.

A robótica traz mais tecnologia e segurança para o cirurgião.

O que é

A hérnia inguinal consiste em uma protuberância que se desenvolve na região da virilha, área em que há uma fraqueza na musculatura da parede abdominal. Há dois tipos de hérnia inguinal, a direta e a indireta. A HI direta está associada aos esforços diários, ao tabagismo e ocorre principalmente em idosos. Já a hérnia inguinal indireta – mais comum em crianças e  jovens – se forma devido à persistência do canal  do peritônio que se alarga e permite a passagem das estruturas abdominais para o canal inguinal.

Causas

O defeito congênito no canal inguinal é a principal causa para o aparecimento de hérnia inguinal. Entretanto, outros fatores de risco também podem estar associados, como histórico familiar de hérnia inguinal, parto prematuro ou baixo peso no nascimento, tosse crônica, constipação intestinal, histórico de trauma ou cirurgias abdominais, esforço físico com excesso de pressão no abdome, obesidade e tabagismo.

Sintomas

A hérnia inguinal se manifesta por uma protuberância ou inchaço na região inguinal após esforço abdominal e que pode sumir ao repouso. Geralmente está associado a dor ou desconforto na região.

Tratamento

A hérnia inguinal é geralmente de tratamento cirúrgico. O procedimento mais indicado para correção da hérnia inguinal é a Herniorrafia Inguinal Videolaparoscopica ou robótica, em que, através de três pequenos furos no abdomem realiza-se a redução do conteúdo da hérnia e reforça a musculatura com uma tela especial. Outra abordagem cirúrgica é a herniorrafia inguinal por via aberta na qual a correção é feita através de um corte na virilha. A videolaparoscopia permite uma recuperação mais rápida e menos dor. A robótica traz mais tecnologia e segurança para o cirurgião.

O que é

A chamada hérnia epigástrica ocorre na linha média do abdômen (Linha Alba), entre o umbigo e o tórax, com o afastamento dos músculos abdominais e a saída de tecido adiposo.

Causas

Geralmente, este tipo de hérnia está relacionado a um problema congênito, fraqueza da parede abdominal na musculatura da linha média. Trabalho pesado, tosse, esforço físico intenso também podem estar relacionados com o surgimento da hérnia umbilical.

Sintomas

Muitas vezes as hérnias epigástrica e umbilical são assintomáticas. O principal sintoma é a dor abdominal com abaulamento quando se faz esforço com o abdomem.

Tratamento

O tratamento cirúrgico por meio da Herniorrafia Epigastrica ou herniorrafia umbilical tem como objetivo corrigir a hérnia, fechando o defeito da musculatura abdominal. As vezes, quando o defeito é grande ou a fraqueza da musculatura é importante, é indicado a colocação de uma tela especial, a fim de estimular a formação de tecido cicatricial (fibrose) mais espesso e resistente na área tratada.

O que é

As hérnias abdominais são escapes de vísceras através da parede abdominal, devido ao enfraquecimento, afastamento ou a ruptura da musculatura do abdômen. Especificamente a hérnia incisional é o abaulamento, acompanhado ou não de dor, que ocorre na região de uma incisão ou cicatriz de cirurgia anterior.

Causas

O problema é causado principalmente pela fraqueza da parede abdominal no local da cicatriz  e também está relacionado à fatores como o sobrepeso, infecção, tosse crônica e esforço físico intenso.

Sintomas

Os sintomas deste tipo de hérnia podem ocorrer e desaparecer espontaneamente. De forma geral, sente-se dores abdominais associado a abaulamento no local, principalmente durante esforços físicos ou quando a parede do abdômen é contraída rapidamente ao evacuar e tossir.

Tratamento

A cirurgia indicada para tratar a hérnia incisional é a Herniorrafia incisional, que visa corrigir o defeito na musculatura e/ou aponeurose (capa que reveste os músculos) a partir do fechamento do anel herniário por meio de pontos cirúrgicos ou com a colocação de telas. O procedimento pode ser realizado por cirurgia tradicional (com corte) ou por laparoscopia ou robótica, que oferece menos riscos e recuperação mais rápida para o paciente. No entanto, é importante ressaltar que a melhor opção em cada caso deve ser avaliada pelo cirurgião.